Blog de casa nova!

27 nov

Este blog se mudou para www.primeirafila.net

PS: A foto amada desse post é do fotógrafo-lenda Chico Albuquerque.

Maquiagem e saúde dos olhos

19 nov

Adoro Marina Smith, adoro Petiscos, mas fiquei um tanto quanto chocada com esse post sobre um “jeitinho” para rímel ressecado. A recomendação foi para usar soro fisiólogico para amolecer o produto. Uma sugestão aparentemente inocente, já que usamos cotidianamente soro para limpar lentes de contato e os próprios olhos. Pois é, aparentemente. Mesmo com alergia nos olhos, eu costumava fazer isso para não jogar no lixo máscaras que tinham sido tão caras. Até que um dia eu tive uma doença chamada ceratite, que até demorei um pouco a tratar, porque confundi com a velha alergia de sempre. O resultado: perdi as lentes contaminadas, fiquei um ano fazendo tratamento, sem poder usar lentes, só no óculos direto, e gastando uma nota de remédios.

Entre os diversos fatores que podem ter causado a maldita da ceratite, meu oftalmologista cogitou o uso de maquiagem com prazo de validade vencida. Se elas não causaram, podem ter piorado o problema. Pouco depois, meu dermatologista confirmou que o rímel é um dos produtos mais frágeis, em especial os importados, que têm na sua fórmula um componente (não vou lembrar o nome), que rapidamente se deteriora. Bom, eu não fui a única a ter problemas com os jeitinhos de prolongar a vida da máscara, pois várias meninas deixaram comentários semelhantes ao meu por lá. O que me deixou pasma é que todos foram completamente ignorados, e as leitoras continuaram dando mais sugestões de “jeitinhos”: Renu, creme para área dos olhos e até silicone e reparador de pontas.

Deixa eu ver se entendi: não tem problema ter, sei lá, uma úlcera ocular, desde que a máscara Chanel esteja molinha?

Olha, não tem essa de não modificar as propriedades químicas. O próprio tempo, a temperatura, entre outros fatores se encarregam disso. Sei que é difícil aceitar, ainda mais para make up addicted, mas a melhor maneira de não perder dinheiro com rímel endurecido é COMPRAR MENOS. Depois que me convenci disso, passei a ter uma média de quatro máscaras:

O Magix tá aí de metido

 

Tenho a sorte de não gostar de rímel colorido. Pra mim, o velho  preto é o melhor e pronto. Para o dia -a-dia, uma máscara da Clinique, hipoalérgica, ideal para alérgicas a tudo nesse mundo como eu. Se o caso for só de ir ali pegar o pão ou o jornal, vou com a básica transparente da Avon, quase imperceptível, que uso também para manter as sobrancelhas no lugar quando elas acordam meio rebeldes, com saudade da Maura Lima. À noite, fico com o Virtuôse da Lâncome, que graças ao formato do pincel, me deixa com olhos quase de drag (adoro!). Em vez de comprar um grande, preferi um kitzinho de maquiagem que vinha com ele. Em tamanho bem menor, não dá pra estragar. Ainda dos kits de maquiagem, tenho um pequeno da Bourjois pra carregar na bolsa. E tá bom.


Esse rímel é ótimo pra ter na bolsa: do tamanho de um batom

 

A outra dica valiosa para aumentar a durabilidade do rímel é não ficar “bombando” o pincel, pois isso empurra ar pra dentro do frasco. É melhor girar o pincel lá dentro. E também nada de limpar o excesso de produto na borda, use um lencinho de papel. And sad but true: 6 meses de vida útil!

Se você não confia em mim, tudo bem. Fica então com a palavra da expert Vanessa Rozan.

Beatles today

17 nov

Hoje abriremos uma exceção à programação normal desse blog. Um post praticamente só de imagens. Justifico. Hoje e amanhã estarei louca finalizando alguns trabalhos, antes de viajar para O EVENTO. Além disso, peguei uma gripe que tem 24 horas pra se curar e me deixou com uma moleza do cão. Nem arrumar as malas eu arrumei, pra você ver.

Então, sejam legais comigo e aproveitem as imagens. Tudo de coisinhas atuais ou de um passado recente que você pode associar aos Beatles. Algumas mais óbvias, outras menos. Enjoy!

Óculos redondinhos Chilli Beans

Sobretudo e jaqueta Burberry


Jaquetinhas militares da Balmain. Lembra delas?

Calças flare, as famosas adotaram

 

Gravata slim, só o que se viu no Oscar

Consumo de luxo na revista Conexão Net

16 nov

Era pra eu ter postado antes. Leseira minha. Mas enfim… na revista Conexão Net do mês de novembro tem uma matéria sobre consumo de luxo, em que eu falo sobre as mudanças desse conceito no decorrer da história. Obrigada às jornalistas Grazielle e Samaísa pelo contato.

A Conexão Net é entregue aos assinantes da Net em Fortaleza. Se não for o seu caso, dá para ler online. É só clicar na figura para ser encaminhado ao site.

Casa Moda Sebrae: imagens reunidas em livro

16 nov

Mark Greiner


Lindebergue Fernandes


Só uma amostrinha do livro-catálogo Casa Moda Sebrae, que será lançado hoje, para convidados, na Casa Cor Ceará. Acompanhada de um DVD, a publicação apresenta imagens que representam o trabalho de profissionais como Mark Greiner, Ruth Aragão e Cláudio Quinderé, entre outros que expuseram suas peças no espaço. Numa simbiose entre arquitetura, moda e design, o espaço Casa Moda Sebrae é uma criação da arquiteta Andréa Dellamonica. O livro foi coordenado por Ana Naddaf, Gustavo Almeida-Santos e Mark Greiner. As fotos são de Caio Ferreira.

Estilistas e designers participantes: Alysson Aragão, Ana Vilela, Anastácio Jr., Anderson Cleyton, Ayres Jr., Cândida Lopes, J. Cabral, Carlos Capucho, Catarina Mina (Joana de Paula e Celina Hissa), Cláudio Quinderé, Fabiana Maurício, Francisco Matias, Iury Costa, João Sobarr, Kalil Nepomuceno, Lindebergue Fernandes, Mar Del Castro (André e Rafa Castro), Marco D`Julio, Mark Greiner, Melca Janebro, Ruth Aragão, Sei Barros e Sérgio Gurgel.

Eau des Minimes é perfume para tarde de verão

13 nov

Muito calor, Fortaleza. Sempre penso que só banho frio, colônia fresca e picolé de limão salvam uma tarde como essa.

Eu tinha me prometido que iria só comprar um presente pra minha cunhada, mas assim que entrei na L’Occitane, dei de cara com o vidrão do Eau des Minimes. Vidrão mesmo, 500 ml, não tinha como não ver. Aí olhei o rótulo lindo, de estética vintage, me lembrei da recomendação da Mariana e do e-mail que havia recebido da marca, que prometia uma essência leve, cítrica, com um toque de alecrim. Exatamente como eu gosto e mereço num calor como esse de Fortaleza. Experimentei e arrematei por 79 reais, que para MEIO LITRO de perfurme bom é praticamente uma pechincha.

Mesmo sem ser pra presente, a vendedora fez a embalagem com capricho.
Pequenos cuidados que fazem o consumidor se sentir bem.

O estilo de Paul McCartney

13 nov

A trajetória de Paul McCartney em relação ao estilo foi um pouco confusa, tanto nas roupas quanto nos cabelos, com alguns momentos pouco inspirados e até decepcionantes, com vários looks do tipo “tiozinho”. Tenho que admitir, Sir usou mullets. Mas na virada dos anos 2000, ele parece ter encontrado um equilíbrio interessante. Básico, clássico, mas bem mais jovem do que 15 anos antes. Influência da filha Stella?

Vamos lá, recordar é viver (e às vezes se arrepender).

Quando os Beatles se separaram, em 1970, Paul continuou com praticamente o mesmo visual do último show, aquele clássico no telhado do prédio da Apple Records, em Londres: os cabelos ficaram um pouco mais curtos, mas a mesma barba e estilo de paletó, sem gravata. Depois, com os Wings, usou uns mullets, vagou pelo folk com coletes e mangas volumosas, pelo look de camisetas sobrepostas e por uma onda esporte de jaquetas de nylon. No fim da década, adotou um visual mais sóbrio, com cabelos curtos, camisa social e sobretudos.

No início dos anos 80, voltou às jaquetas de couro, calças jeans, camisas xadrez, num visual bem mais jovem. Não se sabe o que aconteceu que antes da década de 90, lá estava ele todo tiozão, de malhas de tricô, calças frouxas e coletes. Na turnê de 1993, que veio ao Brasil, ele vestiu camisa larga de botões e coletinho étnico e os mullets estavam maiores do que nunca. Quando o novo milênio chegou, vimos um novo Paul: paletós alinhados, ajustados, com camisetas básicas, tudo com ar mais jovial. Influência de Stella? Ou o fim do casamento que fez bem?

Enfim Paul parece ter se encontrado, mantendo esse estilo, com pequenas variações, no últimos 10 anos. Calça social reta ou jeans mais largo com camisa social e blazer. As gravatas às vezes são mais largas ou mais slim. Mas o que ele realmente não larga mais são os tênis, que vem usando em quase todas as ocasiões, exposições, avant-premières até fotos de divulgação e flagras de paparazzi. Tem predileção pelo All Star pretinho básico. Particularmente gosto muito desse visual usado na estréia do musical Love (Cirque de Soleil), em que ele foi fotografado com Ringo.

Este é o Paul no Brasil, no show de Porto Alegre

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.